Quinta-feira, 8 de Fevereiro de 2007

História da Gata Borralheira - nova versão

 (...)Lúcia diz: "Esse sapato é meu!"
   De súbito, houve um grande silêncio na sala. Só se ouvia o lago estremecendo com o reflexo da lua e o chilrear dos pássaros.
   Passados uns segundos ouviu-se:
   -Como é que alguém consegue trazer um sapato daqueles para este baile?
   -Realmente, que falta de estilo e elegância!
   Mas, de repente, apareceu um rapaz que contrariou todas as palavras ditas anteriormente. O rapaz tinha cerca de 20 anos e tinha cabelos castanhos, olhos azuis e era alto e bonito. Disse:
   -Como, pergunto eu!!! Como é que podem ser tão insensíveis perante uma situação destas? Eu queria ver se fosse algum de vós que comentou; vocês calavam-se e fingiam que o sapato não tinha nada a ver convosco. Em vez de a criticarem deviam admirá-la pela sinceridade e pela coragem de admitir que é o seu sapato!
   Todos ficaram espantados pois ninguém o conhecia.
   Lúcia dirigiu-se para meio da sala, calçou-se e agradeceu ao homem as palavras de defesa.
   Passaram-se quarenta anos. Lúcia tinha naquele momento 54 anos e sentia-se no auge da idade. Ainda não tinha encontrado o homem da sua vida e ocupava os seus dias com o trabalho. Até que foi convidada para um baile, que se iria realizar na primeira noite de Junho. Ela lembrou-se do antigo baile e ia rejeitar o convite, mas como era muito curiosa e queria saber a
reacção das pessoas ao reencontrarem-na, aceitou.
   Foi ao baile sozinha. Com o mesmo modelo de vestido de há quarenta anos e, como o seu pé não tinha crescido, com os mesmos sapatos.
   Quando lá chegou, as pessoas olharam para ela e reconheceram-na; embora naquele momento, com um aspecto mais abatido pela idade. Também nessa festa se encontrava o homem que a tinha defendido,  neste momento com 67 anos; mas neste baile com um objectivo bem diferente.
   No meio da noite, a música parou. As pessoas afastaram-se da pista de  dança, e o homem deslocou-se para o centro da sala. Chamou Lúcia e disse:
   -Lúcia, apaixonei-me por ti há quarenta anos e essa paixão está mais
forte do que nunca. Eu sei que não me conheces, mas podíamos ficar juntos
esta noite para nos podermos aproximar e conhecer melhor.
   Lúcia anuiu e apaixonou-se durante a noite.
   No fim do baile, o homem pediu-a em casamento e ela, toda contente, aceitou sem pensar duas vezes. As pessoas que assistiram puderam comprovar que o amor não escolhe idades e pode durar para sempre!!

Filipa Cameirinha

publicado por ML às 15:48

| comentar
|

.Junho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Pesquisar neste blog

 

Simple Plan
How Could This Happen To Me
by Unknown

I open my eyes
I try to see but i’m blinded by the white light.
I can’t remember how
I can’t remember why
I’m lying here tonight
And i can’t stand the pain
And i can’t make it go away
No i can’t stand the pain

Chorus
How could this happen to me
I’ve made my mistakes
Got nowhere to run
The night goes on as i’m fading away
I'm sick of this life
I just want to scream
How could this happen to me

Everybody’s screaming
I try to make a sound but no one hears me
I’m slipping off the edge
I’m hanging by a thread
I want to start this over again
So i try to hold
On to a time when
Nothing mattered
And i can’t explain
What happened and i can’t erase the things that i’ve done
No i can’t

Chorus
How could this happen to me
I’ve made my mistakes
Got nowhere to run
The night goes on as i’m fading away
I’m sick of this life
I just want to scream
How could this happen to me

 

.Outras páginas escritas por nós...

.Arquivos

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.Tags

. amor

. calor

. céu

. coração

. emoção

. estrelas

. eu

. fosse

. memória

. minto

. mulher

. palavras

. pintar

. poema

. poeta

. se

. transformava

. todas as tags

.Nós alertamos:

.Já nos visitaram:

.subscrever feeds